Páginas

19 de jul de 2011

Eu, minha casa...planeta

Introdução: Essa letra de música fala sobre a importância da água para nós,
e que sem ela não sobreviveriamos mais de uma semana porque ela é a nossa
fonte de vida.

Água que nasce na fonte
Serena do mundo
E que abre um
Profundo grotão
Água que faz inocente
Riacho e deságua
Na corrente do ribeirão...
Águas escuras dos rios
Que levam
A fertilidade ao sertão
Águas que banham aldeias
E matam a sede da população...
Águas que caem das pedras
No véu das cascatas
Ronco de trovão
E depois dormem tranqüilas
No leito dos lagos
No leito dos lagos...
Água dos igarapés
Onde Iara, a mãe d'água
É misteriosa canção
Água que o sol evapora
Pro céu vai embora
Virar nuvens de algodão...
Gotas de água da chuva
Alegre arco-íris
Sobre a plantação
Gotas de água da chuva
Tão tristes, são lágrimas
Na inundação...
Águas que movem moinhos
São as mesmas águas
Que encharcam o chão
E sempre voltam humildes
Pro fundo da terra
Pro fundo da terra...
Terra! Planeta Água
Terra! Planeta Água
Terra! Planeta Água...
Água que nasce na fonte
Serena do mundo
E que abre um
Profundo grotão
Água que faz inocente
Riacho e deságua
Na corrente do ribeirão...
Águas escuras dos rios
Que levam a fertilidade ao sertão
Águas que banham aldeias
E matam a sede da população...
Águas que movem moinhos
São as mesmas águas
Que encharcam o chão
E sempre voltam humildes
Pro fundo da terra
Pro fundo da terra...
Terra! Planeta Água
Terra! Planeta Água
Terra! Planeta Água...(2x)

12 de jul de 2011

Anedota

Quem já foi ao Morumbi num dia de jogo entre Corinthians e São Paulo, conhece sobre a elástica diferença quanto ao número de corintianos sobre os são-paulinos.
Mesmo assim, um pai são-paulinos, resolveu levar seu filho ao morumbi neste dia.
Logo, a torcida corintiana começa o tradicional
manifesto:
- Empurra as bichas!!! Empurra as bichas!!!
Ao se sentirem com pouco espaço, em seguida, a torcida são-paulina, por pura frescura, grita toda serelepe:
- Empurra a cachorrada!!! Empurra a cachorrada!!!
A torcida são-paulina já estava quase surda, quando o menino levanta indignado e rebate os gritos:
- Empurra as bichas!!! Empurra as bichas!!!
O pai fica muito nervoso e dá um tapa na cabeça do
menino e ensina-o:
- Cale a boca! Eles são a cachorrada! Bicha é a
gente...

 Essa piada conta sobre o homofobismo entre familiares.