Páginas

18 de out de 2011

Brasil vence revezamento e Cielo fecha dia com dois ouros no Pan

O segundo dia da natação nos Jogos Pan-Americanos coroou o bom momento do melhor nadador brasileiro da história. Depois de vencer os 100 m livre, Cesar Cielo liderou o revezamento da mesma prova e assegurou mais uma medalha de ouro em Guadalajara.

Veja também: Cielo baixa marca de 48 segundos pela primeira vez sem supermaiô

“Ganhar é sempre uma emoção. E ganhar com os o amigos é melhor ainda. Revezamento é isso. Tem que tirar um pouco a mais pelos outros. Estamos pintando nas Olimpíadas como um grande revezamento e esperamos ficar entre os três primeiros”, celebrou a estrela da natação.
A equipe verde-amarela faturou o primeiro lugar seguida por Estados Unidos e Venezuela. Além de Cielo, terceiro a entrar no piscina, o time brasileiro contou com a participação de Bruno Fratus, Nicholas Santos e Nicolas Oliveira.

Veja análise no blog de Rogério Romero

Sem perder a liderança desde a entrada de Fratus - o primeiro de todos -, o Brasil fechou a prova com o tempo de 3min14s65, novo recorde pan-americano.

“Foi uma prova muito boa. Estávamos mais preocupados com a medalha de ouro do que com o tempo. Ficamos disputando ali perto com os Estados Unidos, mas deu tudo certo”, comentou Nicolas Oliveira, que fechou o revezamento.
Com o resultado, o Brasil chegou a sete medalhas na natação dos Jogos Pan-Americanos. A primeira do dia saiu justamente com Cesar Cielo nos 100 m nado livre, quando ele conseguiu o primeiro lugar com o tempo de 47s84.
Veja ainda: Estratégia de Felipe França para ouro no Pan foi emagrecer
Logo na sequência, foi a vez de o campeão mundial Felipe França vencer os 100 m nado peito com direito a dobradinha do Brasil. Ele conquistou a medalha de ouro com o tempo de 1min00s34 seguido por Felipe Lima (1min00s99).
No último sábado, o Brasil já havia estreado na modalidade com quatro medalhas: um ouro (de Thiago Pereira) e três pratas (Joanna Maranhão, Daynara de Paula e do revezamento 4 x 100 m feminino).

Joanna Maranhão fica com o 4º lugar. Sakemi também não pega pódio

Após conquistar a medalha de prata nos 400m medley no sábado, Joanna Maranhão voltou às piscinas nesta segunda-feira para os 400m livre, prova que não é uma de suas especialidades. Nadando no Centro Aquático Scotianbank, em Guadalajara, a brasileira ficou com o quarto tempo (4min13s71).
Veja também: Confusão com touca tira e devolve ouro de brasileiro na natação
A medalha de ouro foi para a norte-americana Gillian Rene Ryan, com o tempo de 4min11s58. A prata ficou com a colombiana Andreina Pinto, seguida pela medalhista de bronze Kristel Kobrich (CHI).
Acompanhe o blog do Rogério Romero
Nos 100 m peito feminino, Tatiane Sakemi nadou a final e ficou com o sexto melhor tempo. A brasileira finalizou a prova em 1min11s46 e não conseguiu subir ao pódio. As medalhas dourada e de prata foram para os Estados Unidos.
Leia também: Brasil vence revezamento e Cielo fecha dia com dois ouros no Pan
A vencedora da prova foi Ann Catherine Chandler (1min07s90), seguida pela 2ª colocada Ashley Paige Wanland (1min08s55). Já a medalha de prata, ficou com a canadense Ashley Mcgregor (1min08s96).

Confusão com touca tira e devolve ouro de brasileiro na natação

O brasileiro Leonardo de Deus nadou mais rápido nos 200 m borboletas de Guadalajara, ganhou ouro, mas viveu minutos de tensão até ter sua medalha confirmada. Os juízes da prova alegaram que o atleta brasileiro usou um patrocínio ilegal em sua touca, tiraram a medalha do nadador, passaram ao segundo colocado e depois de muita confusão devolveram ao brasileiro. A prata ficou com o americano Daniel Lawrence e o bronze com o também brasileiro Kaio Márcio.

Veja também: Thiago Pereira passa por 'prova de fogo' e fatura 3º ouro no Pan
Leonardo de Deus completou a prova em 1min57s92, contra 1min58s52 de Lawrence e 1min58s78 de Kaio Márcio. Este ao menos manteve o recorde pan-americano da prova. Márcio foi ouro no Rio 2007 com o tempo de 1min55s45. O recorde mundial é da lenda norte-americana Michael Phelps, com 1min51s51 estabelecidos no Mundial da Itália, em 2009.

  Formato do patrocínio era dúvida

O regulamento dos Jogos Pan-Americanos sobre temas comerciais segue as orientações da confederação internacional da modalidade, no caso a Fina (Federação Internacional de Natação).
Veja também: Patrocinador na touca de Leonardo de Deus é parceiro da Fina
A entidade permite em suas regras para competições internacionais a exposição de patrocínio no material do atleta desde que a marca seja sua parceira. A Yakult, bebida cujo logomarca na touca do brasileiro causou a polêmica com a organização do Pan, se encaixa nessa situação.

As diretrizes da Fina também permitem na touca o logotipo do fabricante desde que ocupe um espaço de no máximo 20 centímetros quadrados. No caso do patrocinador, esse tamanho pode ser definido caso a caso, desde que a empresa seja parceira da Fina.
Informações sobre o país do atleta, como nome e bandeira, podem ocupar 32 centímetros quadrados da touca. O nome do atleta deve ocupar até 20 centímetro quadrados e estar do mesmo lado da bandeira do país.

Na verdade, a touca da polêmica foi a mesma utilizada pelo nadador para superar o norte-americano Michael Phelps nas eliminatórias do Mundial. Leonardo quis usar o mesmo equipamento na final do Pan para "dar sorte".

Palmeiras peca nas finalizações e Damião não perdoa: Inter 3 a 0

O jogo
O Palmeiras foi melhor no primeiro tempo, criou mais, esteve bem perto do gol, mas faltou precisão aos seus atacantes nas finalizações. Categoria que não falta ao principal atacante do futebol brasileiro neste ano: Leandro Damião. Assim, com uma oportunidade criada, o Inter foi para o vestiário com a vantagem dada pelo artilheiro.
Leandro Damião mostrou no Pacaembu porque é hoje a principal aposta de Mano Menezes para vestir a camisa 9 da seleção brasileira. Num típico lance de artilheiro, aos 25 minutos, o atacante conduziu a bola no peito, de costas para Henrique. Como um pivô, dentro da área, Damião girou e marcou o primeiro gol da tarde, seu 11º gol no Campeonato Brasileiro.
Luan teve as melhores chances do Palmeiras, mas pecou muito no último toque para o gol. Ele reforçou, assim, o discurso dos torcedores que pegam no seu pé. Aos 35 minutos, após levantamento de Marcos Assunção na área do Inter, a bola sobrou para Luan na pequena área, sem goleiro, e mesmo assim, para a incredulidade de todos os presentes no Pacaembu, o atacante tirou a bola do gol.
Gabriel Silva, como Luan, também desperdiçou chance clara de dentro da pequena área. Aos 46, cabeceou para fora e o primeiro tempo terminou com vantagem do time gaúcho. O Palmeiras, com Marcos Assunção, em duas cobranças de falta, também assustou Muriel no primeiro tempo. O Internacional teve apenas três finalizações no primeiro tempo e o Palmeiras, 11. Porém, apenas três das tentativas do time paulista foram em direção ao gol.

Muro do Palestra Itália é pichado com pedido de "Fora Felipão"

Em função da péssima fase dos últimos anos e a falta de títulos, a torcida do Palmeiras não demorou muito para externar a sua insatisfação pela surpreendente derrota contra o Internacional, no estádio do Pacaembu, pela 23ª rodada do Campeonato Brasileiro. Na noite deste domingo, os muros do Palestra Itália foram pichados.
No principal patrimônio alviverde, que está em obras e não recebe jogos desde o ano passado, foram registrados os seguintes protestos: "Fora Felipão", "Fora diretoria", "Fora Luan" e "time medíocre". As imagens das pichações já foram registradas e postadas por torcedores através de redes sociais logo após o jogo disputado na capital paulista.
Presidente Tirone banca Felipão: “Ele não sai até o fim do contrato”
No Pacaembu, o técnico Luiz Felipe Scolari deixou claro que não iria se surpreender com algumas atitudes da torcida contra os patrimônios do clube. O treinador diz que é normal uma reação intempestiva em todas as agremiações brasileiras.

"Tenho certeza de que tudo vai convergir para essa situação, vamos ter faixas, muro pintado, é normal no Palmeiras. Vamos ter que conviver com isso", comentou.

Corinthians bate o Cruzeiro e segue firme na luta pelo título

Veja a classificação e a tabela de jogos do Campeonato Brasileiro

O torcedor mineiro compareceu em bom número a Arena do Jacaré, decidido a empurrar o time para quebrar um jejum que já durava dez partidas. Mas não foi dessa vez, já que o Cruzeiro decepcionou novamente. Montillo, o craque do time, teve a chance do empate em seus pés, mas acabou perdendo penalidade.

Assista ao gol da vitória do Corinthians sobre o Cruzeiro
O Corinthians, por outro lado, armou uma estratégia inteligente, com homens velozes para o contra-ataque. E foi exatamente em uma jogada como essa que Paulinho apareceu sozinho na área para selar a importante vitória corintiana.
"Quando é fácil não é o Corinthians. Estamos de parabéns por esse difícil vitória, até pela situação do Corinthians", disse o atacante Liedson, que deixou o gramado exausto.
O jogo
Logo no primeiro lance do Cruzeiro no ataque, Keirrison sofreu um corte no supercílio e voltou ao campo com uma touca de natação. O time mineiro começou a partida nervoso, reclamando a cada falta marcada para o adversário.
Empurrado pela torcida, o Cruzeiro tinha mais presença ofensiva. Fabrício arriscou de fora da área obrigou Júlio César a fazer bela defesa no cantinho. Em bela jogada pela ponta esquerda, Everton cruzou para Keirrison, que não marcou pois chegou um pouco atrasado na jogada.

Vasco vence o Atlético-MG e segue colado no líder Corinthians

Veja os gols de Vasco 2 x 0 Atlético-MG
Depois de marcar dois gols no primeiro e apenas administrar o resultado na segunda etapa, o Vasco derrotou o Atlético Mineiro por 2 a 0, neste domingo à noite, em São Januário. A vitória fez a equipe cruzmaltina chegar a 54 pontos, mesma pontuação do líder Corinthians, mas o clube paulista tem maior número de vitórias. O Atlético-MG segue na zona do rebaixamento com 30 pontos.
Confira a classificação do Brasileirão


O time dirigido por Cristovão Borges começou a partida de forma arrasadora e logo estabeleceu a vantagem que permaneceria até o final da partida. Já o Atlético Mineiro pareceu ter sido surpreendido pelo ímpeto da equipe carioca e só melhorou no segundo tempo, mas acabou perdendo o embalo com a expulsão de Serginho, no momento em que o time mineiro estava melhor.
MAIS: Diego Souza festeja vitória, mas lamenta momento do Atlético-MG
O Vasco começou a partida no ataque e logo aos dois minutos marcou o primeiro gol. Elton recebeu lançamento, dominou no peito e mandou sem defesa para Renan Ribeiro. O gol animou o time carioca e deixou os mineiros desnorteados. Aos cinco, Diego Souza mandou a bola de cabeça na trave.
A pressão da equipe carioca prosseguiu, e aos 18 minutos marcou o segundo gol com o lateral Fagner, depois de boa troca de passes do ataque cruzmaltino. O Atlético Mineiro parecia inteiramente desnorteado, sem conseguir deter os avanços da equipe carioca e nem organizar jogadas de ataque.
O domínio vascaíno continuava: e aos 24, Renan Ribeiro teve que se empenhar para evitar que a falta cobrada por Felipe Bastos se transformasse no terceiro gol. O técnico Cuca gritava muito na beira do gramado e quase viu o Vasco marcar o terceiro gol aos 32 minutos, mas Diego Souza errou a finalização.

Cristóvão deve ter Vasco completo domingo contra o Bahia

Sem jogos pelo Campeonato Brasileiro ou pela Copa Sul-Americana, o Vasco terá a semana livre se programando para o compromisso de domingo, fora de casa, contra o Bahia. Vice-líder da competição nacional com 54 pontos, o time tem uma dura missão em Pituaçu. Menos mal que o técnico Cristóvão Borges poderá contar com seus principais jogadores.
Vasco é o 2º colocado no Brasileiro. Veja a classificação
Para a rodada do fim de semana, o Vasco terá as voltas de Juninho Pernambucano, Felipe, Jumar, Eduardo Costa e, possivelmente, Rômulo. O lado ruim será o desfalque de Renato Silva, que cumprirá suspensão automática. Victor Ramos será seu substituto.
Veja também: Próximo adversário do Vasco, Bahia é um pesadelo em Brasileiros
Na vitória de 2 a 0 sobre o Atlético-MG, domingo, em São Januário, o Vasco teve cinco ausências. Conseguiu, no entanto, um resultado importante, e agora precisará de sua força máxima contra a equipe baiana, já que os números mostram uma supremacia do time hoje comandado por Joel Santana jogando em casa..

No Vasco, Eder Luis ironiza gramado do Engenhão

ja também:
A oito jogos do fim do Campeonato Brasileiro, o Vasco terá três clássicos regionais no Engenhão. Para Eder Luis, será um Carioca à parte. Além da rivalidade como obstáculo nesta reta final de competição, um outro agravante pode se tornar um complicador na luta vascaína pelo título: o gramado do estádio do Botafogo.
Vasco é o 2º colocado no Brasileiro. Veja a classificação
As partidas contra a dupla Fla-Flu e o rival alvinegro serão no Engenhão, hoje sucessor do Maracanã, e, portanto, campo neutro. Mas as condições do campo, segundo Eder, não são favoráveis. O atacante não esconde a frustração toda vez que o Vasco atua no estádio arrendado pelo Botafogo.
Veja também: Vice-artilheiro vascaíno, Elton já tem melhor média da temporada
"Lá a gente não consegue dar dois toques na bola. Com todo respeito, mas não gosto do Engenhão. Chamo aquilo lá de Engenhoso", critica Eder, numa referência a horroroso.
Vasco não costuma ir bem fora de casa contra o Bahia

Foto: Fotocom Ampliar
Eder Luis comemora o segundo gol vascaíno sobre o Botafogo no Engenhão
Gostando ou não do estado do gramado, é lá que o campeão da Copa do Brasil e vice-líder do Brasileiro, com 54 pontos, fará os clássicos regionais. A tabela não reserva boas coisas para o time de São Januário. O Vasco fará apenas mais duas partidas em casa - São Paulo e Avaí -, e sairá mais duas vezes do Rio - Santos e Palmeiras.
Siga o Twitter do iG Vasco e receba notícias do time em tempo real
Antes, porém, enfrenta o Bahia, domingo, em Pituaçu - adversário que costuma levar a melhor jogando em casa. Para Eder, o compromisso contra a equipe de Joel Santana está sendo encarada com muita preocupação.
"Não podemos pensar nos times do Rio e nem nos adversários lá da frente antes do Bahia. Sabemos que será um jogo muito difícil. E mais: é um jogo que vai determinar nossas pretensões no campeonato".

Juninho treina e deve ser confirmado no Vasco contra o Bahia

Diferentemente do suspense da última semana, desta vez Juninho Pernambucano dá sinais claros de que voltará ao time domingo, em Pituaçu, contra o Bahia. O meia desfalca a equipe vascaína há três rodadas. No entanto, recuperado de um estiramento muscular, ele deve ser a novidade de Cristóvão Borges no compromisso do fim de semana. Na manhã desta terça-feira, o craque treinou no campo, animando a comissão técnica.
Vasco é o 2º colocado no Brasileiro. Veja a classificação
Juninho permaneceu na academia fazendo reforço muscular. O meia subiu para o campo depois dos companheiros. Acompanhado pelo auxiliar de preparação física Romildo Menezes, deu piques de curta distância e uma leve corrida. Depois, voltou ao departamento médico para dar sequência ao tratamento.
Leia também: No Vasco, Eder Luis ironiza gramado do Engenhão

Na reapresentação desta terça, os jogadores fizeram apenas um trabalho regenerativo. Na segunda, o grupo ganhou folga, já que a semana será livre, sem jogos pelo Campeonato Brasileiro e pela Copa Sul-Americana. O técnico Cristóvão Borges deve comandar um treino tático provavelmente na quinta-feira. O momento é de dosar as energias, uma vez que restam apenas oito partidas para o término da competição.
Siga o Twitter do iG Vasco e receba notícias do time em tempo real
Além de Juninho, o treinador terá também as voltas de Eduardo Costa, Felipe, Jumar. A baixa é a ausência de Renato Silva, suspenso. Para o seu lugar, Cristóvão deveria escalar Victor Ramos, mas o zagueiro ainda se recupera de lesão muscular. As opções são Douglas e até mesmo o volante Nilton, que atuaria improvisado novamente, bem como na derrota para o Aurora.
O Vasco não costuma se sair bem contra o Bahia fora de casa. Para o jogo de domingo, a única dúvida é o volante Rômulo, outra vítima de lesão muscular. Cristóvão deve mandar a campo Fernando Prass; Fágner, Dedé, Victor Ramos (Douglas ou Nilton) e Jumar; Rômulo (Allan), Eduardo Costa, Juninho (Felipe) e Diego Souza; Elton e Eder Luis.

No melhor ano do Rio no Brasileirão, Corinthians é a resistência

A oito rodadas do final do Campeonato Brasileiro, já é possível afirmar que 2011 será o melhor ano para o futebol carioca na competição nacional desde a implantação dos pontos corridos, em 2003. Atualmente, os clubes do Estado ocupam quatro das cinco posições no topo da tabela. E na comparação com anos anteriores, ao que tudo indica, terão suas melhores posições combinadas ao final do torneio - veja tabela abaixo.
Corinthians lidera, mas é perseguido por quarteto carioca. Veja classificação do Brasileiro
O Corinthians, é verdade, ainda lidera. Mas com a derrota do São Paulo para o Atlético-GO na 30ª rodada, o time do Parque São Jorge aparece, pelo menos temporariamente, como única resistência ao domínio carioca. E a ponta ainda pode ser tomada pelo Botafogo, que tem dois pontos a menos e um jogo atrasado, contra o Santos, que disputará nesta quarta-feira.
Leia também: Clubes do Rio se reorganizam e podem fazer história no Brasileiro

Assista a todos os gols da 30ª rodada do Campeonato Brasileiro
A atual boa fase simultânea dos quatro grandes clubes cariocas pode ser considerada o ápice de uma tendência que vem se desenhando pelo menos nos últimos três anos. Em 2009, com o Flamengo, e em 2010, com o Fluminense, o título nacional ficou no Rio de Janeiro, mas em campanhas isoladas, que não foram acompanhadas de perto pelos rivais regionais.
Essa tendência simboliza a retomada do futebol carioca depois de um péssimo início na chamada “era dos pontos corridos”. Em 2003, o Cruzeiro foi o primeiro campeão neste sistema. Depois, de 2004 a 2008, foram cinco títulos paulistas consecutivos, até que o Flamengo finalmente quebrou essa escrita há dois anos.
O ingrediente final dessa receita para a ressurreição carioca é a campanha do Vasco. Nas oito edições anteriores dos pontos corridos, o time terminou seis vezes da 10ª posição para baixo, em 2009 disputou a Série B e somente em 2006 conseguiu um desempenho razoável, terminando no sexto lugar.

Minoria no Brasileiro, 5 primeiros colocados não demitiram técnicos

Os cinco times mais próximos do título do Campeonato Brasileiro têm algo em comum. Corinthians, Vasco, Botafogo, Flamengo e Fluminense não demitiram seus técnicos desde o início do torneio, em maio. São Paulo, que mandou embora o segundo treinador em menos de três meses, e Internacional, que já demitiu Falcão no início da competição, vem logo atrás, na sexta e sétima posição. CAMPEONATO BRASILEIRO: Confira a classificação

Foto: Gazeta Ampliar
Tite balançou, mas não caiu no Corinthians
Corinthians e Flamengo, primeiro e quatro colocados, respectivamente, são os clubes do topo que mantém há mais tempo os seus comandantes. Tite e Luxemburgo trabalham nas equipes desde outubro de 2010. O corintiano já teve sua cabeça pedida pelos torcedores inúmeras vezes, mas resistiu até mesmo ao vexame da queda para o Tolima na pré-Libertadores em fevereiro.
Além dos cinco primeiros colocados, outros quatro clubes não rifaram técnicos no Brasileiro: Palmeiras, de Felipao, Coritiba, de Marcelo Costa, Santos, de Muricy Ramalho, e Figueirense, de Jorginho.
Justamente o mais vencedor deles em 2011, o campeão do Paulista e da Libertadores da América, Muricy Ramalho é o que está na pior colocação no Brasileiro, em décimo terceiro. Porém, é outro medalhão que vive o pior momento.
VEJAM TAMBÉM: Brasileiro tem domínio de cariocas
Desde junho do ano passado no Palmeiras, Luiz Felipe Scolari é o técnico de times da primeira divisão há mais tempo no cargo. O longevidade não se transformou em títulos e tampouco em paz. Felipão não consegue acertar o time, brigou com o ex-capitão Kleber e já se coloca em dúvida a sua permanência no clube em 2012.
Na mesma zona da tabela, Jorginho, do Figueirense, e Marcelo Oliveira, do Coritiba, vivem situação mais tranquila. Enquanto os rivais locais, Avaí e Atlético-PR lutam para não cair, os dois times estão quase garantidos na Copa Sul-Americana e ainda tentam beliscar um lugar na Libertadores do ano que vem.
Sem demitir, Flu troca
Dos cinco primeiro, o Fluminense é o que já teve mais nomes diferentes no comando. Apesar de não ter demitido nenhum treinador, o time carioca foi treinado por Enderson Moreira, Leomir e Abel Braga no campeonato nacional.
O atual técnico acertou com o clube em março, antes do início do Brasileiro. Porém, só pôde assumir o comando da equipe em junho, após cumprir se contrato com o Al Jazira, dos Emirados Árabes Unidos. Enderson e, depois, Leomir comandaram a equipe de forma interina por quase três meses.
Situação semelhante à vivida hoje no Vasco da Gama. Cristovão Borges assumiu de forma interina no lugar de Ricardo Gomes, fora desde que sofreu um AVC.

Thiago Neves pede concentração do Flamengo na Sul-Americana

Em quarto lugar no Campeonato Brasileiro, com 51 pontos, a três do líder Corinthians, o Flamengo volta suas atenções para o confronto a Universidad de Chile, quarta-feira, às 21h50, no Engenhão, pela Copa Sul-Americana. Consciente da dificuldade de disputar duas competições ao mesmo tempo, o time tenta se concentrar apenas no próximo jogo.
Veja a tabela da Copa Sul-Americana

Fora do confronto com o Santos, domingo, no Engenhão, pelo Brasileiro, por suspensão, Ronaldinho Gaúcho e Thiago Neves estão confirmados no time que entrará em campo quarta-feira. Consciente da dificuldade que será a disputa por uma vaga na Copa Libertadores para o ano que vem, o time sabe que é importante seguir na briga pelo título da Copa Sul-Americana.
Veja também:
Minoria no Brasileiro, 5 primeiros colocados não demitiram técnicos
Manutenção do time-base é sinal de sucesso nesse Brasileirão
No melhor ano do Rio no Brasileirão, Corinthians é a resistência

"Tem que respeitar o adversário. Sabemos que é um bom time, o Fierro falou que a equipe deles é bem rápida e isso pode nos complicar. Nosso pensamento é este agora", disse Thiago Neves. "O Luxemburgo ainda não avisou quem vai jogar. Ele vai decidir, mas espero poder ajudar", avisou o meia.
iG Flamengo no Twitter: saiba tudo sobre seu time

A Copa Sul-Americana dá vaga ao campeão na Copa Libertadores do ano que vem. No Campeonato Brasileiro, os quatro primeiros colocados se classificam. Caso o Vasco, campeão da Copa do Brasil, esteja entre eles, o quinto colocado também garante a classificação.

11 de out de 2011

Risadas do msn!

kkkkkkkkkkkkkkk
sauhasuhasuhas
sakosaosoakoskaksoa
rsrsrsrs...
Quer mais? invente e mande para o contato a seguir -> bolinharedonda@ymail.org

Mesmo com 30 pontos ainda em disputa, Abel acende sinal de alerta

A derrota de 3 a 2 para o Flamengo no Fla-Flu deste domingo, no Engenhão, deixou o Fluminense na sexta posição no Campeonato Brasileiro, com 44 pontos. Restando dez rodadas, o time continua na briga pelo título. O técnico Abel Braga reconhece que a situação tricolor ficou delicada – embora a diferença para o líder Corinthians seja de apenas sete pontos.
Fluminense é o sexto no Brasileiro. Veja a classificação atualizada
“Ficou difícil? Claro. Daqui para frente, perder ponto é uma roubada", destacou o treinador. “Mas vamos disputar 30 pontos ainda, é muita coisa em jogo”, completou o treinador, que no intervalo criticou Vanderlei Luxemburgo.
Para Abel Braga, juiz “inventou” o 2º gol do Flamengo
O treinador lamentou a derrota da maneira como aconteceu, já que apontou a arbitragem como responsável pelo resultado. Segundo Abel, não fosse a “atuação mal intencionada” de Felipe Gomes da Silva, o Fluminense teria pelo menos empatado o clássico. Pelas contas de Abel, o resultado acabou sendo um desastre, já que o próximo compromisso, contra o Coritiba, põe mais medo do que o eterno rival rubro-negro.

“Talvez seja um jogo mais difícil do que o do Flamengo, pois o Coritiba tem um elenco que está junto há muito tempo”, comentou Abel. O time paranaense ocupa a oitava posição, com 40 pontos, vem de vitória de 2 a 0 sobre o Grêmio e é o atual vice-campeão da Copa do Brasil. Perdeu o título para o Vasco.
O Fluminense enfrenta o Coritiba na próxima quinta-feira, às 20h30, no Engenhão. No primeiro turno, o time tricolor foi derrotado por 3 a 1 pelo campeão paranaense.

Rafael Moura não é citado na súmula do Fla-Flu

As ofensas de Rafael Moura contra Felipe Gomes da Silva após o terceiro gol do Flamengo pelo visto não incomodaram o árbitro do clássico de domingo. Apesar de revidar a agressão verbal com um empurrão, ele não citou o atacante do Fluminense na súmula da partida.
Fluminense é o sexto no Brasileiro. Veja a classificação atualizada
Mas essa não foi a única atitude reprovável do atacante tricolor. Após ofender novamente o árbitro após o apito final, Rafael Moura não se deu por satisfeito e cuspiu na direção de Renato Abreu, responsável por uma cotovelada no atacante do Fluminense no fim do primeiro tempo.
Quem também não foi citado na súmula foi Leandro Euzébio, também envolvido na confusão. Apesar de ter seu nome registrado em razão do cartão amarelo recebido aos 39 minutos da etapa final, por reclamação, a atitude agressiva do zagueiro após o jogo foi ignorada por Felipe Gomes da Silva.
Siga o iG Fluminense e receba as notícias do seu time
Já o meia Souza foi citado pela expulsão aos 47 minutos do segundo tempo pela falta cometida sobre o argentino Bottinelli. No documento, o árbitro explicou porque deu cartão vermelho direto para o camisa 21 do Fluminense.
“Expulsei diretamente, aos 47 minutos do segundo tempo, o Sr Williamis de Souza Silva (nº 21 do Fluminense F. C.) por, após ser driblado, golpear propositalmente com o antebraço o rosto do seu adversário (Sr. Dario Botinelli) quando a bola já não estava mais em sua disputa. O lance ocorreu no círculo central. O atleta atingido não precisou de atendimento médico e continuou normalmente no jogo", relatou Felipe Gomes da Silva na súmula.

Abel: "Aqui ninguém vai baixar a calcinha pro Luxemburgo, não!"

O técnico do Fluminense, Abel Braga, não escondeu sua insatisfação após a derrota de 3 a 2 no Fla-Flu deste domingo, no Engenhão. O treinador saiu de campo revoltado com a arbitragem, por considerar que não houve falta no lance que resultou no gol de empate do Flamengo, marcado por Botinelli. Antes, porém, sobrou para o amigo Vanderlei Luxemburgo, que no intervalo teria discutido com os jogadores tricolores por causa de uma falta de Renato Abreu em Rafael Moura.

Para Abel Braga, árbitro "inventou" a falta do 2º gol rubro-negro

veja também:
Expulso na derrota de 3 a 2 para o Flamengo, na noite deste domingo, no Engenhão, Abel Braga, que já discutira com Vanderlei Luxemburgo no intervalo, culpou a atuação de Felipe Gomes da Silva pelo tropeço tricolor na 28º rodada do Campeonato Brasileiro. Segundo o treinador, não fosse o árbitro ter “inventado” o lance que resultou no gol de falta do argentino Botinelli – o de empate em 2 a 2 -, a história teria sido outra.
Siga o iG Fluminense e receba as notícias do seu time
Abel elogiou as duas equipes, não tirou os méritos do time rubro-negro pelo resultado, mas acredita que Felipe Gomes não teria marcado a mesma falta em favor da equipe tricolor caso o adversário estivesse vencendo por 2 a 1. Indignado, sobretudo após o mesmo Botinelli ter feito o terceiro e liquidado a partida, Abel acabou expulso do banco de reservas.

Bottinelli faz dois, Fla vira sobre Flu e volta a pensar em título

Veja também:
Ronaldinho Gaúcho e Fred não estavam em campo, mas o clássico fez jus a sua fama. Num confronto cheio de alternativas, o Flamengo, pelos pés de Bottinelli, conseguiu uma virada sensacional e derrotou por 3 a 2 o Fluminense, com dois gols do argentino. Com a derrota do Vasco para o Internacional, o time chegou aos 47 pontos e deixou a vantagem para o líder em três pontos, faltando ainda 10 rodadas para o fim.
Na próxima rodada, os dois times jogam no Engenhão. O Fluminense, sexto colocado, entra em campo na quinta-feira, contra o Coritiba, enquanto o Flamengo, quarto, vai enfrentar o Palmeiras, quarta-feira.

Luxemburgo pede para Mano poupar Ronaldinho na seleção

Preocupado com a sequência de jogos que está por vir depois da vitória por 3 a 2 sobre o Fluminense, neste domingo, o técnico do Flamengo, Vanderlei Luxemburgo, mandou um recado para Mano Menezes. Ele espera que Ronaldinho Gaúcho não atue 90 minutos no amistoso da seleção brasileira contra o México, em Torreón, na terça-feira à noite.

Classificação do Campeonato Brasileiro: Flamengo é o 4º colocado

“Vamos precisar de todo mundo inteiro. Contra o Fluminense, já usamos muitas peças. O Ronaldinho Gaúcho ligou preocupado com a gente, falando para ganhar, dizendo que estava voltando. Aliás, o Mano poderia quebrar o galho do velho aqui. Ele tira o Neymar, de 19 anos, para poupar por causa da final do Mundial de Clubes. O Ronaldinho tem 31 anos. Tira ele um pouquinho”, disse Luxemburgo.